terça-feira, 11 de agosto de 2015

O ciclo vicioso da máfia das drogas no Brasil (Por Thiago Muniz)

Enquanto o traficante sustentar o sistema corrupto, ele continuará vivendo e será rotulado de "bandido mais procurado". Enquanto houver mais viciados, mais drogas serão produzidas, mais corruptos se alimentarão para encobertar a base podre.

Isso é desde os primórdios. 

Quando o Estado "não consegue" destituir o Narcotráfico, desconfie porque há outros interesses no ar e haverão "playboys" e "beira-mares" no cenário nacional.

Traficante Playboy foi morto numa ação aparentemente muito bem executada pela Polícia Civil. Morreu muito mais por saber demais do que por ser bandido. Uma derrota para o cara e para a sociedade. Trata-se de uma guerra sem vencedores, só perdedores.

Playboy morreu. E já há seu sucessor. Vitória pra quem?

Enquanto não mudar a forma de lidar com o problema, continuaremos na mesma.

Há 30 anos se mata ou se prende "o bandido mais procurado só Brasil" do momento e o problema só faz aumentar.

Playboy não morreu tarde. Morreu cedo. Muito cedo. Muito antes de poder contar com quais delegados negociava, com quais coronéis negociava, com quais comandantes negociava, com que políticos negociava, de quem comprava armas, de quem comprava drogas, se por acaso vinham em certos helicópteros de políticos que estão soltos...

Enfim, morreu muito cedo.
Uma derrota da sociedade que clama por uma política de segurança de verdade.

Uma derrota de uma sociedade que precisa de uma política sobre drogas de verdade... A raiz é outra! Enquanto for proibido haverá traficante e negociações com delegados, coronéis, políticos e afins... 

Deletar pode fazer sentido, mas mudar a política sobre drogas seria de fato o caminho não?!

Há controvérsias! Fernandinho Beira Mar está vivo até hoje. Já entregou alguém graúdo? Vai entregar? Eles nunca entregam, e todos que pensam nisso ficam pelo caminho. Delação premiada á algo inexistente no mundo do tráfico de drogas.

As vezes os comparsas entregam pois a comunidade fica em evidências e as bocas sem grana porque a polícia fica em cima, olha eu no fundo não acredito nessa de grande traficante morando em favelas, acho que não passam de "bois de piranha", vocês vão ver rei morto rei posto, já tem outro comandando com não de ferro a comunidade, quem o indicou, quem o nomeou é assim que funciona é só botar a cabeça para funcionar.

O foda é ver esse povo comemorando como se isso significasse alguma coisa, de fato vocês não terem noção do tamanho da máquina que é o tráfico e torço pra que um dia a gente consiga chegar nos nomes de quem de fato opera, matar o dono da revenda gera no máximo uma crise pela vaga criada.

A Polícia, através do BOPE foi muito bem, prendendo alguns "chefes" do tráfico. Mas não foi um golaço. Foi apenas um lançamento perfeito. O golaço ainda está por vir. Falta ainda boa parte do serviço, agora não mais a cargo dos policiais que brilharam na ação de hoje e merecem aplausos.

Falta agora fechar a investigação e prender também os outros policiais que fazem parte da quadrilha. Que são muitos. Que vendem armas, droga, achacam, corrompem, mamam do dinheiro do tráfico.

São parte importante da engrenagem. E estão todos soltos.

Faltam também mudanças na lei, relacionadas a restrição de alguns benefícios, penas mais rígidas para porte ilegal de armas, e mudança em relação à política de combate às drogas. Mas isso não é mais com a polícia. São com nossos parlamentares, muitos deles muito mais preocupados com politicagem do que com política, com legislar em defesa do povo que os colocou lá.

Aí, sim, vira um golaço. Pra todo mundo comemorar. Menos, claro, os muitos que se beneficiam com a dinheirama gasta neste modelo atual de combate ao tráfico. Mas estes também têm de estar na cadeia. Então, vamos que vamos.

E esclarecer mais alguns pontos:

Como se dá a entrada de um .50 do exército americano? Quem traz? 

Quem é o dono do jatinho, do helicóptero, do aeroporto na fazenda? E os 400 quilos de cocaína?

Estes são os chefes da quadrilha. 

Os que estão no morro são meros buchas dessa gente.


BIO

Thiago Muniz tem 33 anos, colunista dos blog "O Contemporâneo", do site Panorama Tricolor e do blog Eliane de Lacerda. Apaixonado por literatura e amante de Biografias. Caso queiram entrar em contato com ele, basta mandarem um e-mail para:thwrestler@gmail.com. Siga o perfil no Twitter em @thwrestler.




Nenhum comentário:

Postar um comentário