quinta-feira, 16 de julho de 2015

As vantagens e desvantagens da carreira pública no Brasil (Por Thiago Muniz)

Em tempos de desemprego e alta competitividade no mercado de trabalho, uma palavrinha mágica denominada “estabilidade” atrai milhares de pessoas em busca de um cargo público. Mas quais são as diferenças entre os dois setores? Será que vale a pena planejar uma outra carreira, encontrar tempo e disposição para os estudos, abdicar de momentos de lazer com a família e os amigos?

Segundo o presidente da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), Carlos Eduardo Guerra, a grande vantagem do concurso público é que não tem discriminação de etnia, sexo ou idade. “A pessoa faz a prova e, portanto, vai premiar, em tese, aquele que está mais apto, mais preparado. A outra vantagem é que o serviço público, independente do setor que for, tem remunerações razoáveis, não é altíssima, mas é boa. Claro que em alguns setores, o salário é muito alto. E a terceira vantagem é a questão da estabilidade”, relata.

O jornalista Paulo de Freitas trabalhou durante seis anos na iniciativa privada, mas acabou se rendendo aos benefícios de um cargo público. Hoje ele é oficial de promotoria do Ministério Público de São Paulo. “Muita coisa mudou. Antigamente o servidor público era um batedor de carimbo, mas, hoje em dia, os concursos têm cargos com plano de carreira, além de garantir estabilidade e bom salário”, expõe.

Já o auditor da Receita Federal Murilo Lo Visco, que é formado em engenharia civil, ingressou na carreira pública por ter ficado três anos fora do mercado de trabalho após a sua formatura. Mas para chegar até o cargo atual, ele precisou de muita força de vontade e planejamento. “Estudar para concursos exige muita disciplina. É preciso estar disposto a sacrificar grande parte do tempo livre destinado ao lazer. Porém, como lazer nenhum também não é recomendável, é preciso saber dosar. No último concurso da Receita, fui aprovado em primeiro lugar. Atribuo esse resultado a diversos fatores. Porém, posso citar dois que considero os principais: um deles é a tranquilidade para fazer a prova e o outro é a ‘bagagem’ obtida ao longo de tanto tempo de estudo com muita disciplina".
VANTAGENS

A estabilidade. Essa segurança sobre a permanência no cargo permite ao indivíduo programar a sua vida com tranquilidade. Daí decorrem vantagens financeiras referentes a planejamento de longo prazo e vantagens emocionais, como a tranquilidade proporcionada às mulheres com relação ao planejamento familiar e a serenidade perante crises econômicas ou mudanças estruturais. Colaborar para o bem estar social também é muito gratificante.

A estabilidade permite a possibilidade que o trabalho proporcione de ajude a sociedade a viver de forma mais pacífica e harmônica. Hoje, no mercado altamente competitivo, essa estabilidade traz um pouco de tranquilidade. Outro fator muito importante é a flexibilidade de horário e a tranquilidade de se trabalhar sem muita pressão e tantas cobranças. Destaco também o investimento que a minha empresa, em especial, tem em relação à atualização e ao aperfeiçoamento de seus empregados”.

Não há dúvidas de que os frutos trazidos por esta tranquilidade devem ser reconhecidos, especialmente para as mulheres, que possuem via de regra jornada dupla e ainda enfrentam algumas dificuldades na iniciativa privada. Outro ponto importante é a pontualidade no pagamento.

A segurança do vínculo que permite exercer as funções com mais tranquilidade, do caráter democrático do ingresso (concurso público), da possibilidade de continuidade dos estudos, por meio de cursos de especialização e de reciclagem, bem como pós-graduação e mestrado.

DESVANTAGENS

Talvez a maior desvantagem do serviço público seja a falta de reconhecimento, por parte do Estado, do serviço bem realizado. Essa costuma ser a causa do comodismo, tão referido quando se pensa em funcionalismo público. Além disso, no Brasil, percebemos que existem graves distorções com relação à meritocracia. Um avanço foi a vedação ao nepotismo. Outro é a defesa, cada vez mais intensa, da adoção de uma concepção gerencial de Administração Pública.

O comodismo que alguns servidores apresentam quando ingressam na carreira pública, pensando que, por ter a estabilidade, não precisam se dedicar como fariam no setor privado.

É um serviço bem rotineiro, sem muita criatividade e o engessamento da administração pública, e pelo fato de os serviços serem permanentes, com pouca variação nas tarefas.

A maior dificuldade na carreira pública é o salário, que varia de acordo com o governo existente no país. Alguns governos valorizam mais o servidor público, outros nem tanto.

A ausência de mecanismos mais efetivos de estímulos àqueles que se destacam em sua atuação, tal como ocorre na iniciativa privada, bem como da dificuldade em se modernizar e aprimorar a infraestrutura do local de trabalho, por meio da contratação de novos servidores da carreira de apoio e aquisição de materiais, em decorrência da limitação orçamentária.

No setor público, a meritocracia ainda é um assunto novo. Nem todos os órgãos possuem um plano de carreira estruturado. Muitas vezes, o mais comum é que o funcionário preste outro concurso para atuar em uma nova função, mesmo que seja para a instituição onde ele já trabalha atualmente.





BIO

Thiago Muniz tem 33 anos, colunista dos blog "O Contemporâneo", do site Panorama Tricolor e do blog Eliane de Lacerda. Apaixonado por literatura e amante de Biografias. Caso queiram entrar em contato com ele, basta mandarem um e-mail para:thwrestler@gmail.com. Siga o perfil no Twitter em @thwrestler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário