quarta-feira, 13 de maio de 2015

Teoria da Conspiração e Polarização dos Brics (Por Thiago Muniz)

Minha teoria da conspiração para relacionar a GRANDE polarização no Brasil atual.

Quem será o próximo império?
Não precisa ser um visionário para saber que a China é o país que possui todos os atributos para isso.
China é um país Comunista que abriu seu mercado e atua com grande poder no cenário econômico mundial. Inclusive detém uma quantidade enorme de papeis monetários dos Estados Unidos.
Quem é o império atual?

Estados Unidos. O modus operantes não precisa ser desenhado, todos nós já sabemos. REPARE… 

Não estou dizendo nem que China é melhor e nem que sejam os Estados Unidos.

Mas o mundo é um tabuleiro como no jogo War (para quem não teve adolescência ligada apenas aos Vídeo Games), China e Brasil se tornaram grandes parceiros comerciais. Cada vez a China está mais presente em nossa política e economia.

O BRICS é um agrupamento econômico atualmente composto por cinco países: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul - "Mecanismo formado por países chamados “emergentes”, o BRICS possui um grande peso econômico e político e pode desafiar as grandes potências mundiais."

ACENDAM OS SINAIS DE ALERTA… pois não tem ninguém brincando em serviço quando estamos falando de protagonismo mundial e PODER.

O Brasil se alinha com os Países emergentes que podem colocar em risco a hegemonia das grandes potências atuais através de um Governo "Socialista". As relações internacionais são um emaranhado de interesses onde os bastidores é que decidem quem pode o que e o que deve ser feito para estabilizar e desestabilizar as nações.

Quem tem um mínimo de conhecimento político dentro do contexto da Globalização, sabe muito bem que não há mais espaços para Doutrinas Ditatoriais de cunho COMUNISTA, mas há espaço para uma abordagem que desafie a maneira como é conduzido atualmente o Capitalismo.

Os Americanos não brincam em serviço…

Criar um cenário de desordem, recessão, crise, instabilidade num País que está alinhado a um grupo que pode colocar em risco sua hegemonia… seria uma estratégia perfeita para dar o poder a um grupo que pudesse novamente se alinhar a seus interesses políticos e econômicos.

Como disse… isso é apenas uma Teoria da Conspiração…

Vale a pena pensar sobre apenas a título de curiosidades.

Entender que esse movimento que ataca as esquerdas, xinga os outros de Comunistas e etc, talvez seja já um reflexo da inconsciente forma de que pinos são movimentados por aqui…
TALVEZ…

Bom… independente de qualquer coisa, acho que isso nunca vai impedir ninguém de comprar Macs e ir para Disney, pelo menos eu creio que não.

Mas quem criou desordem e recessão no Brasil? A desordem está mais para os sistema político que não acompanha nem de longe as mudanças sociais.

As normas penais e processuais penais em boa medida são da metade do século passado, por ex. Já a recessão é responsabilidade do governo que ai está, auto intitulado de esquerda. Com a ausência de reformas que incentivassem o investimento produtivo, passou a patrocinar crescentes gastos governamentais, sem fundamento fiscal ou arrecadatório, de forma a enganar o cidadão mediano. Fê-lo da seguinte forma: a demanda é impactada pelos gastos e investimentos do setores público (governos) e privado (empresas e famílias), assim facilitar e incentivar o endividamento para o consumo e gastar dinheiro do governo, gera sensação de melhoria, senão de manutenção das condições de renda e emprego, muito embora gere erosão dos fundamentos econômicos com dívidas que deverão ser pagas no futuro,

Soma-se a isso a inflação decorrente de alta da demanda sem corresponde oferta de bens e serviços. É a corda que hoje enforca as classes médias e trabalhadoras e o tão famigerado ajuste fiscal, que jogam por terra num momento seguinte os ganhos ilusórios de antes. Mas isso só ocorre após as eleições (como é o caso).

Nossa estrutura de Estado e tradição histórica tem mais a ver com os EUA que com a China. Se a falta de discernimento do povo permite e endossa políticas populistas, o resultado será um país eternamente medíocre, como de fato somos. Vamos depender de potências externas para nos socorrer com recursos, sejam EUA, China, e seus organismos financeiros (FMI, Banco Mundial, empresas chinesas, etc.).

Os Estados Unidos estão se engasgando com a própria própria saliva. As sanções contra Rússia não surtiram efeitos, o Irã não teme mais a Otan, devido a artilharia russa de resposta s-300. Os países aliados do E.U.A. deixam o FMI e vão aderir ao banco dos BRICS e ao banco de investimentos e infra estruturas da china. O mundo está prestes a deixar de ser como conhecemos, aqueles que apostaram todas suas fichas no Tio Sam, temem o fim próximo. Espero que na hora da transição, Tio Sam se renda sem provocar a terceira e ultima guerra mundial.

Por mais que a China nos últimos 10 ou 15 anos tenha construído um grandíssimo império no mundo e ter sua influência geoeconômica bem difundida, ainda vejo os Estados Unidos como o maior país de mundo. Não só pela moeda que é fortíssima mas pela influência geopolitica que se perpetua desde o século XIX. Não é mais o poderio bélico que dita o poder dos Estados Unidos, é a influência econômica, politica e cultural que está presente desde o idioma até a moeda.

Em mais uma ação de cabal subordinação à finança anglo-americana, o Banco Central do Brasil está dificultando, com evidente intenção de sabotar a capitalização da parte brasileira no Banco dos BRICS sob o pretexto imbecil de proteger as reservas internacionais. O Banco dos BRICS é, de longe, o principal legado do primeiro mandato de Dilma no plano internacional. Deverá ser o grande instrumento de financiamento da infraestrutura no bloco, independente da interferência, das taxas de juros e das condicionalidades norte-americanas e europeias.

Uma análise lógica demonstra que os problemas econômicos do Brasil são consequência de uma administração incompetente que, a médio prazo, trouxe taxas de crescimento do PIB sempre abaixo dos BRICS e agora tende a uma recessão. Incompetência associada a corrupção escancarada e a um modelo de política econômica atrasado - com as características que não deram certo nos modelos fracassados das experiências socialistas. Enquanto isso as superpotências continuam, sim, disputando a hegemonia global.

Voltando para realidade. Brasil esta em declínio financeiro por péssima gestão de custos e receita. Gasta mais que arrecada. ( agora quer descontar a péssima gestão nas empresas, aumentando o custo de operação energia, logística, matéria prima, salários, juros, impostos e mais outras situações que pactuam diretamente no custo de produção, causando essa inflação desenfreada, sangrando o poder de compra dos brasileiros. Agora a china é a comunista mais capitalista do mundo, e utiliza isso a seu favor, obrigado sua população a trabalhar por baixos salários, e colocam seus produtos ao um preço inferior aos demais países. Tornando uma concorrência desleal.

Nós estamos no meio do cabo de guerra entre duas principais forças, uma é do movimento Eurasiano, que engloba a Russia e a China e o outra são os globalistas, os pertencentes do Clube Bilderberg - poderosos dos EUA e da UE. Temos que diferenciar os americanos nacionalistas dos americanos globalistas, os globalistas são os que querem derrubar as fronteiras dos países, inclusive dos EUA, para a criação de um governo global, já os nacionalistas são os que defendem a soberania territorial e cultural americana.

Zeittgeist Addenum explica bem isso, quando eles se referem aos "assassinos econômicos" que geralmente usam da midia corporativa desses países (que geralmente é estrangeira ou patrocinada, como a Globo) que sofrem o imperialismo informal (econômico), como o Brasil. E o esquema é mais ou menos o que tentaram e estão fazendo com Petrobrás, eles soltam alguma "bomba" no principal meio de "lucro" do Estado, para desestabilizar a moral dos governantes, afim de desvalorizar a empresa estatal para que ela seja privatizada a preço baixíssimo ou que seja completamente tomada no mercado acionista. E o final de tudo isso é a derrubada do governo vigente. Assista a esse documentário e verás precisamente como eles atuam.

O Brasil se alinhar ao BRICs a fim de se firmar como importante economia no cenário mundial, ok. "Socializar o capitalismo", ok. O que não dá é coadunar com ideais políticos de governantes de países tais como Venezuela, Argentina, Bolívia, Cuba, etc, apenas por ideologia política ( tendo em vista que os precitados países estão aos cacos), pois, se assim o fizer, o Brasil vai carregar (e já carrega) um bloco de países "pobres" nas costas, o que custará caro no futuro (vide URSS, que bancou alguns países por ideologia). Esses países ao qual me refiro são satélites apenas. O Brasil é o Imperialista da América do Sul.

Em primeiro lugar, acredito que somos "jeitinho brasileiro" o suficiente pra fazer toda essa lambança e roubalheira que está acontecendo no Brasil por nossa própria conta. Quem pensa que o Brasil em qualquer momento representa ameaça ao poderio dos Usa precisa se informar mais. Tudo o que o Brasil exporta para os Usa representa 2% do valor que os Usa importam do restante do mundo. Mas o que acho mais importante é que o Brasil é o mais fraco dos países do BRICS, porque os americanos estariam trabalhando para desestabilizar o Brasil quando não lucram nada com isso? E a China, principal fornecedor de comodidades dos Usa? E a Índia, país que concentra a maior fatia de produção de software do mundo, que custou milhares de empregos aos americanos (demissão de funcionários americanos para terceirização com os indianos?) O Brasil precisa melhorar muito, em tudo, pra significar qq tipo de ameaça para os americanos. Hoje, os americanos ganham dinheiro no Brasil, e muito, assim como lucram com o trabalho escravo nos países asiáticos. Talvez o petróleo possa representar um item de valor, mas considerando que muitas empresas americanas e mundiais já exploram e lucram com o petróleo brasileiro, não creio que isso seja importante o suficiente pra mobilizar uma teia conspiradora.

Algumas observações:

1) China não é um país Comunista. É um país com capitalismo de Estado;

2) Sim, o BRICs, é força politica e econômica mas, não nos moldes neoliberal como o G7;

3) No Comunismo não haverá Estado, muito menos ditadura. Decifra- me ou te devoro!;

4) A hegemonia politica e econômica do modo de produção capitalista, está por um fio. Isto é observe as crises do capital, é por excesso de mercadorias, não o contrario. Karl Marx explica!;

5) Sim, os EUA são entrave, para que a democracia se expanda mundo afora. Porque a "filosofia" do G7, sobre conceito, do que é democracia, está restrita aos países colonizadores. Os colonizados que se fodam!. Por isso, provoca caos e destroça povos e nações, com suas guerras de Neocolonização;

6) A história registra que, muitos impérios já caíram. Não será diferente com o capitalismo monopolista e imperialista.

O ser Humano já virou zumbi faz tempo, todo mundo vive em fuga, alguns atrás de Deuses, outros atrás de Ovnis, outros se aliviam com bebidas e drogas, o conceito do Filme Matrix nunca fez tanto sentido, Já Nascemos numa prisão!!! Aí que tá, eles podem fazer o que quiserem com a gente porque por mais que a gente saiba que tem algo errado no mundo a gente não enxerga o quebra-cabeças inteiro.

BIO

Thiago Muniz tem 33 anos, colunista dos blog "O Contemporâneo", do site Panorama Tricolor e do blog Eliane de Lacerda. Apaixonado por literatura e amante de Biografias. Caso queiram entrar em contato com ele, basta mandarem um e-mail para:thwrestler@gmail.com. Siga o perfil no Twitter em @thwrestler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário