quarta-feira, 8 de abril de 2015

A Heterofobia criada por Jair Bolsonaro (Por Thiago Muniz)

“O homem é grotesco, a condição humana é grotesca” (Georges Minois)

Fiquei pensando em como explicar para as pessoas que não existe "Héterofobia", mas depois achei tão óbvio que decidi não articular nada sobre essa desonestidade intelectual, usada como retórica por gente interessada em espalhar ignorância!

Ninguém é obrigado a sentar ao lado de um casal Gay, se isso for um incomodo ao indivíduo, mas é preciso respeitar esse casal e o ser humano que ali esta.

Todavia, ninguém é obrigado a se sentar ao lado de pessoas que fazem apologia a Ditadura Militar, que elogiam torturadores e que estimulam preconceitos e comportamentos agressivos! Mesmo sendo obrigado a aceitar que essa gente consiga se eleger democraticamente, coisa que não faria se o regime fosse de imposição!

Então concluo que o Deputado Jean Wyllys, tenha feito a coisa certa. Deve ser difícil ter de conviver e compartilhar ambientes com gente que usa a democracia para defender ditadura! Se alguns fingem ser o que não são para fazer política, me orgulho de ter votado em alguém que é o que é e ponto final!

O próprio Bolsonaro prova que provocou uma situação desconfortável, ainda mais antes de se iniciar um vôo. Na minha visão ele está tentando inverter os papéis, inverter os valores, fazer com que a sociedade insista numa suposta "heterofobia" que não existe. Jean Wyllys só sentou em outra patrona pra evitar confusão. só isso. No pé que anda as rixas entre todos os deputados eu acho que o Jean fez bem de ficar quieto e sentar em outro lugar e sem tom de deboche. Bolsonaro ta querendo causar.

Independente de Jean Wyllys ser gay ou não, qual o sentido de você permanecer sentado do lado de um cara que é seu inimigo declarado?

Jair é um sujeito que gosta de fazer do riso, da ironia e do escárnio ferramentas do seu plano macarrônico de poder. Bolsanaro é Homofóbico, racista, defensor da tortura como método de investigação, defensor do golpe militar de 64. Demagogo por pregar moralidade e votar no aumento do próprio salário. Acusado de pescar em reserva ambiental. Esqueci alguma coisa?

No medievo o riso aparecia como um aparelho de supressão do outro, para que os sujeitos através da ironia pudessem consolidar preconceitos e construir uma sociabilidade por exclusão.

A ironia dos bufões fazia com que se instaurassem tragédias. Não havia comédia, apenas a violência e o escárnio.

Há o riso da alegria, do prazer e da liberdade. Mas, o riso de Jair é grotesco como o de Roma no século I. Não é uma mera brincadeira, ele tem o propósito de gerar mal estar, inquietação e até medo. Maria do Rosário sabe disso. Ela acerta quando afirma que as falas e atitudes de Jair são técnicas de submissão do outro, usadas na ditadura.

O contraponto se faz ao entendermos que esta atuação grotesca é digna de um bufão que ao rir (sorrir) o faz de si mesmo, de seus pares, de seu país. Tal como nos mosteiros da idade média, esse cacarejo estúpido não apenas rompe o silêncio simbólico do tema ( imposto por uma sociedade machista estúpida e patriarcal que depende do falo para se auto definir), mas torna visível o terrível ruído daqueles que, ao hesitarem de se posicionar criticamente, se comportam como animais adestrados em um circo de horrores. São assim os deputados e seus partidos (PMDB, PP, PSD, PSC, DEM, PDT, PTB e etc)

Eu também faria o mesmo que o Jean. E faria mais, sentaria mais distante a ponto de nem ver.

Não existe Heterofobia, assim como não existe racismo para branco. Quando uma pessoa que você discorda ideologicamente, tem princípios contrários aos seus, é opressor, machista, preconceituoso, apoia e quer intervenção militar, e já entra no avião com o celular na mão, filmando, ou seja, já tem essa intenção de causar polêmica, manifestar o ódio e intimidar, perceptível. Não foi nada espontâneo esse encontro (por parte do Bolsonaro).

Eu faria o mesmo, iria me retirar, com todo respeito, e mudar de local. Ninguém é obrigado a ficar perto de uma pessoa que insemina o ódio.

Houve alguma ofensa? Algum desrespeito? Nem troca de olhares.. então... Bolsonaro sendo Bolsonaro.

Vejo tanta anencefalia! Enquanto um defende uma minoria o outro defende o extermínio dessa minoria!

Não há que se dizer se fosse o contrário, pois não há vontade do primeiro em exterminar ninguém, e ele nunca apoiou torturadores! No entanto a vontade de criticar o ilusório e a ausência de inteligência é tamanha nos comentários, que alguns fazem um questionamento descabido por questão de uma critica inexistente!

Mas o que se esperar de pessoas que apoderam-se da internet sem apoderar-se de cultura e livros?





BIO

Thiago Muniz tem 33 anos, colunista dos blog "O Contemporâneo", do site Panorama Tricolor e do blog Eliane de Lacerda. Apaixonado por literatura e amante de Biografias. Caso queiram entrar em contato com ele, basta mandarem um e-mail para:thwrestler@gmail.com. Siga o perfil no Twitter em @thwrestler.

Um comentário: