segunda-feira, 2 de março de 2015

O exército da Igreja Universal: Gladiadores do Altar (Por Thiago Muniz)

Como começa um exército terrorista? 
Com um exército e uma Igreja no comando.

"(...)pela liberdade e independência da pátria, para que nosso povo possa ser estimulado a cumprir a missão que lhe foi atribuída pelo Criador." (vol. 1, capítulo 8) - ADOLF HITLER, Mein Kampf.

GLADIADORES DO ALTAR, um grupo da Igreja Universal que arrecada jovens interessados em um dia se tornarem pastores da Universal. Eles ganham uniformes, algum treinamento físico e ensino de idiomas e técnicas de evangelização. O objetivo é formar evangelizadores e pastores.

Eu não apelaria para a sensatez de pessoas que se prestam a fazer esse teatro. Concordo que é um salto grande demais para a Universal ser comparada ao ISIS, mas não duvide da estupidez de fanáticos religiosos.

Lembremos que o fundamentalismo islâmico começou com jovens “inofensivos” ultra conservadores e muito disciplinados, que não pegavam em armas, e sim em cartazes, na fundação da Irmandade Muçulmana do Egito em 1930. O que veio depois é bem conhecido. Será que estou incorrendo numa falácia do declive escorregadio?Talvez. Mas a despeito dos exageros, eu enxergo isso com muita preocupação sim.

A Igreja Universal já tem os seus inimigos. Em janeiro deste ano, uma igreja da Universal em Senegal foi atacada por muçulmanos, irritados porque a esposa de um líder comunitário estaria frequentando a igreja. O próprio site da Universal conta como foi:


Na última sexta-feira, por volta das dez e meia da manhã, um grupo de jovens invadiu o Centro de Ajuda Espiritual no Senegal, com pedras, madeiras, facas, martelos e machados, e destruíram tudo em poucos minutos, ferindo aproximadamente 3 pessoas.
Alguns obreiros e membros relataram que o povo estava no templo para a busca do Espírito de Deus, quando mais de 100 jovens apareceram cercando o templo perguntando pelo pastor. Cadeiras, lâmpadas, armários e etc foram totalmente destruídos, até a bíblia foi rasgada. O pastor teve suas roupas levadas, tendo que ser socorrido por um membro, ficando apenas com a roupa do corpo.
O motivo do ataque se deu ao fato da esposa do líder do bairro estar frequentando a igreja. O primeiro atentado aconteceu em setembro do ano passado, por mais de 200 jovens que invadiram o templo arrancando todas as cadeiras e atearam fogo do lado de fora da igreja.









Mas o exército está ali e temos que discutir esse assunto. São jovens com fé cega, totalmente disciplinados, marchando de uniforme em formação militar. Tem pelotões em todos os estados e em muitos países. Eles gritam com vigor seus sloogans. Apenas ainda não pegaram em armas, apenas isso. 

Mas até quando?

Se pensávamos que o fundamentalismo religioso só existisse no Islamismo, aqui dentro do Brasil já existe com os Evangélicos. E o meu pavor é que já estão com muita força dentro da política, o que é pior pois tem a adesão de parte da população. "Guardiões do Altar" é uma metáfora e uma afronta de quem não é adepto da fé evangélica. Exército serve para combater algo hostil ou que esteja comprometendo alguma situação. Guardiões do altar foi feito para combater as outras religiões e praticar a intolerância.

Parecem saídos de um manicômio, o que faz a ignorância o mau uso da capacidade de pensar. É o obscurantismo medieval, uma loucura que em pleno século XXI. Tenhamos que presenciar tamanha barbaridade que esses insanos não saiam às ruas querendo colocar em prática a ignorância que trazem em suas mentes doentias.

O fundamentalismo religioso começa assim, remetendo a metáforas da violência, da guerra e do poder. Começa a eleger inimigos. A atacar quem se opõem. Um povo como o brasileiro, com uma educação crítica falha e com grandes carências é facilmente dominado por este tipo de manipulação ideológica. Prezado cidadãos e cidadãs deste Igreja não se deixem enganar. Vamos trabalhar por um pais justo e igualitário em que cada pessoa possa expressar sua religiosidade seja ela cristã ou não cristã. A verdadeira fortaleza está no respeito ao próximo. A verdadeira força está em amar o diferente. Este rituais de violência só geram mais violência. Gentileza gera gentileza!

Um câncer na sociedade brasileira. Fruto de décadas de uma política que arruína cada vez mais a Educação nesse país e só faz crescer a massa de fanáticos ignorantes. Estado Islâmico, Boko Haram...e toda horda de imbecis fundamentalistas ao redor do mundo nasce exatamente assim: no seio de um estado miserável, num país pobre, do pensamento estreito de gente tosca, conduzidas por um boçal facista, que lhes promete a superação do seu obscurantismo e mediocridade com discursos e atitudes que são tão patéticas e deploráveis quanto seu mentores, seus deuses e suas ações!

O fundamentalismo religioso no Brasil, tal fundamentalismo tem sido negligenciado pela intelectualidade brasileira de prestígio e por políticos democratas e republicanos ao mesmo tempo em que é incorporado, de maneira irrefletida, por quase todos os partidos e diferentes governos. 

O fundamentalismo cristão no Brasil tem ameaçado as liberdades individuais, a diversidade sexual e as manifestações culturais laicas. Agora ele está formando uma milícia que, por enquanto, atende pelo nome de "gladiadores do altar". 

Quando atentaremos de verdade para o monstro que emerge? Quando começarem a executar os "infiéis" como vem fazendo o fundamentalismo islâmico no Oriente Médio? Não é porque tem a palavra "cristão" na expressão que o fundamentalismo cristão deixa de ser perigoso e não fará o que já faz o fundamentalismo islâmico.

Junta isso + fogueira santa = INQUISIÇÃO!

Junta isso + política = NAZISMO!

Junta isso + radicalismo = ESTADO ISLÂMICO!


Religião + Política + Exército é igual a problema na certa, não vai demorar muito pra ver alguém com distúrbio psicológico matando. A lógica é fácil, se o meu Deus é o verdadeiro o seu é o demônio. Se o seu é o demônio você é filho das trevas e tem que morrer... Esperem pra ver!

Agora eu quero que me expliquem a diferença disso para o que está acontecendo no Oriente Médio? Simples, eles são o nosso futuro.

Ai junta:

- Jovens alienados com bloqueio de pensamento e questionamento
- Um líder que diz ser o escolhido
- Um inimigo em comum

Daqui a pouco vamos voltar a Idade Média,aonde matar em nome de Deus é tido como algo normal,aonde hereges e pessoas de outras religiões serão execradas e exterminadas. Estamos em um retrocesso social perigoso e silencioso. Anotem ai, vai feder essa história. Gladiadores eram os soldados que iam para as arenas matar os Cristãos e lutarem entre si até a morte, por causa das loucuras de um tempo onde não se conhecia Deus e rezava para vários semi deuses da mitologia.

Forças paramilitares são associações civis, armadas e com estrutura semelhante à militar. Todo grupo ou associação com fins político-partidários, religiosos ou ideológicos, formado por membros armados, que usam táticas e técnicas policiais e/ou militares para a consecução de seus objetivos, pode ser classificado como paramilitar. Em determinados casos, alguns dos membros de forças paramilitares também fazem parte das forças militares regulares. No Brasil, associações paramilitares são proibidas, segundo a Constituição Federal de 1988.

Ainda bem que há pessoas sensatas e que estão percebendo o perigo por trás dessa ''lavagem cerebral''. Isso pode sim ser o início de todo radicalismo e insanidade, como o foi em todos os movimentos religiosos radicais e intolerantes e em todos governos totalitários e sanguinários. Quem manipula estas mentes não pensantes, é alguém muito esperto e que sabe muito bem o que faz. A falta de cérebro e da capacidade de pensar é alvo fácil para estes manipuladores, raposas velhas que, mesmo roubando, explorando, tirando na cara dura o dinheiro de todo este povo, ainda os tem como fiéis seguidores. como dizia a filósofa Hannah Arendt, o cidadão comum é capaz de cometer as maiores atrocidades quando lhe é tirada toda capacidade de raciocínio.

O mal provem da incapacidade de pensar. Sugiro às pessoas mais críticas que se manifestem, que se indignem que de alguma forma impeçam que estes tipos de ''movimentos'' tomem corpo e credibilidade, se é que pode haver algum tipo de credibilidade em tamanha insanidade. Toda história mostra que é assim que começa. Pessoas sem cultura, sem estudo, sem raciocínio ou senso crítico são manipuláveis e fáceis executores de ordens, sejam elas quais forem.

Assistam aos filmes A Onda ou O Ovo da Serpente. Estas barbaridades só acontecem quando a outra parte da população, pensante, se cala! Parecem inofensivas estas imagens. Elas não são. Isso é abominável para um século que já atravessou tantos genocídios que começaram com uma simples ideia, de um louco ! e cresceram devido ao fanatismo.


Está claro que quem forma uma legião de combatentes, não quer combater o mal em si, mas nos outros! O que é o bem e o que é o mal, ou o bem ou o mau, quando pessoas estão destituídas de todo raciocínio ou capacidade crítica frente aos fatos do mundo? Isso é um absurdo porque bem sabemos que estes ''movimentos'' nunca ficam aquartelados, ou seja, basta uma ordem ''divina'', eles estarão nas ruas fazendo sua ''justiça'' divina ! contra quem?

A cultura atual que condiciona nossa sociedade se perpetua em que homem ainda precisa ser dominado para estar em um estado de conforto e segurança ,a a fantasia que o homem criou foi a religião , logo ele se torna um medíocre alienado, se opondo a autonomia. Se continuarmos assim os feudos serão o de menos.


Este projeto vai arrebentar, pois missão dada é missão cumprida”, escreve uma jovem da Universal do Reino de Deus na página oficial da igreja na internet. Versões semelhantes do comentário, geralmente paráfrases de diálogos do filme Tropa de Elite, de José Padilha, têm sido usadas com frequência pelos fiéis para se referir ao projeto Gladiadores do Altar, nova iniciativa da igreja comandada pelo bispo Edir Macedo para arrebanhar a juventude.

Braço da instituição conhecido por organizar eventos religiosos antidrogas e esportivos, a Força Jovem Universal decidiu apelar à simbologia militar para projetar uma nova geração de pastores e evangelizadores. Perto de 4,3 mil homens brasileiros de até 26 anos integram o polêmico projeto que mistura disciplina bélica com pregação religiosa.

Embora lançado em janeiro de 2015, o projeto ganhou destaque após o deputado Jean Wyllys, do PSOL, publicar no domingo 1º uma foto dos tais gladiadores enfileirados como um batalhão militar e um vídeo do ritual do grupo, reproduzido em diversos estados brasileiros, além de Argentina, Colômbia e alguns países africanos.

Os fiéis do projeto vestem camisetas verdes com o brasão do grupo estampado nas costas. O símbolo apresenta as iniciais “G.A.” bordadas em um escudo atravessado por uma espada. Embora não se vejam coturnos, o conjunto finalizado com sapatos e calças pretas remete à imagem de tropas policiais ou militares.

No ritual registrado em diversos vídeos na internet, os gladiadores marcham pela igreja com sincronia e disciplina. Repetem, a pedido de um pastor-sargento, uma louvação a Deus que mais se assemelha a um ritual de iniciação para aspirantes do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar. Ao serem perguntados sobre o que querem, estendem os braços com o dedo em riste e apontam para o objetivo, enquanto repetem três vezes a plenos pulmões: “O altar, o altar, o altar”.

A liturgia militar adotada pelo grupo de formação de pastores da Universal levantou dúvidas sobre as reais intenções do projeto. “O fundamentalismo cristão no Brasil tem ameaçado as liberdades individuais, a diversidade sexual e as manifestações culturais laicas. Agora, ele forma uma milícia”, afirma Wyllys.

Os gladiadores passaram a ser comparados na internet a terroristas do Estado Islâmico e a soldados de regimes totalitários, especialmente pelo gestual e uniforme adotados, que lembram, com exceção à ausência da gravata, os camisas-verdes do integralista Plínio Salgado, líder da versão tupiniquim do fascismo nos anos 1930.

Com o despertar da polêmica, a Universal passou a bloquear o acesso ao conteúdo publicado sobre os gladiadores em seus canais oficiais na internet a partir da segunda-feira 2. Ainda é possível, porém, assistir ao ritual dos gladiadores em vídeos publicados pelos próprios fiéis. Um dos mais populares mostra o bispo Edson Costa na primeira recepção ao grupo no templo em Fortaleza. Antes de dar a palavra ao bispo, o “sargento” dos gladiadores convoca a tropa para uma oração. “Graças ao Senhor, hoje estamos aqui prontos para a batalha”, bradam os jovens. Em seguida, Costa dispara: “Esses gladiadores vão nos ajudar a entrar no inferno e ganhar almas. O altar não é para criança, menino ou para quem quer brincadeira. É para quem quer lutar pelo povo, e se preciso dar a vida por ele”.

Em nota, a Universal afirma que o programa visa formar única e exclusivamente pastores. Os jovens seriam integrantes regulares da Força Jovem Universal, cuja bandeira principal é o combate às drogas. “Em sua maioria, são pessoas que pretendem retribuir à comunidade onde vivem o apoio recebido quando estavam em situação de vulnerabilidade social.”

A Força Jovem é um dos braços mais influentes da igreja, em especial pela rea­lização de grandes eventos em parceria com o poder público. O PRB, partido ligado à Universal, ocupa atualmente o Ministério do Esporte, encabeçado pelo pastor George Hilton, além das secretarias estaduais da pasta em São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal. O interesse do partido pelo esporte está diretamente relacionado à promoção de eventos da Força Jovem pelo País. O “Saiba Dizer Não”, evento que promove atividades desportivas e palestras antidrogas, foi sediado em importantes áreas públicas, entre elas o Estádio Mané Garrincha, em Brasília, e o Parque da Juventude, em São Paulo.

Sobre as suspeitas de promover um “exército fundamentalista”, a Universal garante que nenhuma prática militar é desenvolvida. “Os gladiadores assistem a aulas semanais com um pastor em que debatem e são convidados a refletir sobre aspectos do texto bíblico. Esta é a única atividade regular.” Sobre a polêmica em torno dos uniformes, a igreja afirma que as camisetas têm como função identificar os gladiadores no interior das igrejas. “Os integrantes do projeto não as utilizam fora dos templos da Universal em nenhuma atividade.” O gestual militar seria apenas uma “coreografia”, ensaiada para apresentar de forma festiva o projeto aos fiéis. Segundo a Universal, os rituais “não se repetiram mais, nem se repetirão”.

Após a publicação de Wyllys, muitos fiéis apressaram-se a defender o projeto e garantir que ele iria “arrebentar”, gíria usada pela juventude da igreja para se referir a um sucesso estrondoso. Quem acessar a página paulista do grupo no Facebook encontrará mais de mil seguidores e nenhum conteúdo publicado. Na segunda 2, havia um farto material, com textos, fotos e vídeos. Ao que parece, o projeto de fato “arrebentou”, mas na conotação negativa da expressão. No caso, a própria imagem da igreja, já bastante combalida.



Como próximo passo, os gladiadores do altar poderiam fazer simulações de caçada às bruxas, torturas para obtenção de confissões e, claro, queimada de seres humanos na fogueira. Tudo muito sadio, por óbvio, pois seria mera encenação.

Isso pode ser os germes de algo perigoso, pois dentro da história da humanidade as religiões de índole semita possuem um potencial para a barbárie e ao radicalismo sem precedentes; o próprio surgimento do terrorismo proveio de um grupo de judeus dos anos 20 denominado Haganá, isso sem falar nos inúmeros grupos de terror de matiz islâmica tal como Al-Qaeda, Estado Islâmico e Talibã; não se pode esquecer também que um dos pilares da modalidade "abrasileirda' de fascismo, denominada de integralismo, é senão a própria devoção ao catolicismo tradicional.

Desta forma, sem querer esgotar os exemplos de extremismos nas religiões de indolo semita, é notório o perigo de associar estruturas de treinamento bélico com a dita "evangelização" promovida pela igreja universal, uma vez que isso pode ser um estimulo a formas mais radicais de credo, e de uma (talvez?!) despretenciosa alegória com a formações bélicas é possível que haja o nascimento de verdadeiros grupos paramilitares de formação evangélica pentecostal. Por oportuno, menciono o alerta do autor Fiódor Dostoiévski em sua obra "Os demônios" direcionado para aqueles que, pretendendo mudar o mundo e acabam eles mesmos se transformando em assassinos e nos supostos "demônios" que tanto pretendem, a princípio, combater e destruir.

O interessante é que na Roma Antiga, os gladiadores eram escravos, que faziam parte da política do "panis et circencis", (pão e circo)".

Este estilo militar, foi implantado em forças policias do Brasil, para impedir que o policial pensasse. A implantação deste militarismo em uma igreja protestante, parece uma contradição, afinal o protestantismo prometia a livre interpretação da Bíblia.

Religiões de raiz africana pedem investigação de grupo Gladiadores do Altar

O MPF- RJ (Ministério Público Federal no Rio) recebeu uma representação de religiosos do Candomblé e da Umbanda, nesta segunda-feira (23), com um pedido de investigação sobre a formação do grupo intitulado Gladiadores do Altar, da Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus). A representação foi entregue em outras 22 capitais brasileiras, segundo os organizadores do movimento.

O grupo, criado no final de 2014 pela Universal aparece em vídeos na internet uniformizado, tem postura militar e é chamado por pastores da igreja de 'exército de Cristo'.

"É uma postura paramilitar. Nós já sofremos preconceito de vários membros da Iurd, que destroem terreiros e perseguem pessoas das religiões afro nas ruas. Não vamos esperar um grupo de 6 mil homens, que se denomina como um 'exército', pegar em armas e agir contra a gente ou que um grupo fundamentalista cresça em nosso país", disse Luiz Fernandes Martins, advogado que entregou a representação.

O documento, de cerca de 20 páginas, pede, além de uma investigação contra o grupo, uma audiência pública para a sociedade se manifestar a respeito dos chamados gladiadores. Segundo Martins, caso o caráter paramilitar seja constatado, as religiões de raiz africana irão pedir uma indenização para incentivar medidas contra a intolerância religiosa.

Antes da entrega da representação, um grupo de 100 pessoas vestidas de branco e tocando atabaques tentaram mobilizar pedestres que passavam em frente ao prédio do MPF, no centro do Rio. Também houve manifestação semelhante em frente ao Ministério Publico Federal em São Paulo.








































































BIO

Thiago Muniz é colunista dos blogs "O Contemporâneo", do site Panorama Tricolor e do blog Eliane de Lacerda. Apaixonado por literatura e amante de Biografias. Caso queiram entrar em contato com ele, basta mandarem um e-mail para:thwrestler@gmail.com. Siga o perfil no Twitter em @thwrestler.



Nenhum comentário:

Postar um comentário