sábado, 6 de dezembro de 2014

Lobão no bonde do EU sozinho

Lobão ficará sozinho no barco...

Lobão " Cadê o Aécio Neves? Cadê o Caiado? Só eu estou aqui…"

Lobão, embora eu não concorde com quase nada do que você vem falando, sempre lhe respeitei por entender que você é sincero nas suas empreitadas. Você se entrega de cabeça e vai e mobiliza e participa.

Eu Não concordo com esse movimento atual. Sou a favor de que sejam investigados todos os responsáveis e que sejam punidos, seja o partido que for…

Mas se liga… estão te deixando sozinho nessa. Já tem um monte de maluco pedindo intervenção militar e o negócio tá ficando estranho.

A democracia é isso, entender que a Rua é o lugar do povo. Concordando ou não com a causa.
Eu sou totalmente a favor das investigações e das punições aos responsáveis desses e de todos os escândalos de corrupção no Brasil… inclusive o dos Trens de SP que pouco se divulga na mídia. Mas sou totalmente contra qualquer movimento de derrubada da presidenta, até que se prove que ela participou do esquema.

Pedir lmpeachment nesse momento é Golpismo. Tanto o PT quanto PSDB, quantos os demais partidos estão envolvido até os ossos com essas empreiteiras. Seja na esfera federal, estadual ou municipal.
Lobão, segue sua luta, mas aí… vão te largar falando sozinho…

Esses caras são bons de falar na internet, na hora de ir para as Ruas ninguém aparece…

Aécio não apareceu nem para votar contra a LDO.

O Lobão é um rapaz, no mínimo interessante. Digo isso porque acompanhei de verdade a sua história e o tive como ídolo, enquanto atualmente já não recebo muito bem o material que cara faz, dos textos às músicas, não sei quais estão entre os mais absurdos. Mas não se preocupe se você gosta do rapaz, não estou a fim de começar a escrever mais um daqueles textos cheios de raiva contra o cara, mas sim uma crítica ao atual trabalho.

Quero dizer, reconheço suas boas peripécias na história. Sim, já fui um fã do seu trabalho – principalmente na minha juventude de dezesseis anos, sabe como é, a gente adora adotar pessoas exacerbadas, polêmicas e explosivas como ídolos quando se é jovem –. Aplaudi em pé a sua luta, que hoje em dia já não sei se afirmo como legítima, contra as gravadoras, a batalha dele ao lado de outros artistas pela numeração de CDs e DVDs; sua performance no show Uma Odisseia no Universo Paralelo é louvável, energética e para poucos; respeito por demais a sua atitude ao sair fora do circulo mainstream, pegar um violão e sair por aí fazendo shows autossuficientemente; reconheço o seu potencial como musicista, ótimo compositor, bom letrista, multi-instrumentista...

Mas tudo isso que eu disse desmorona quando enxergo o velho lobo juntando-se com a velhacaria conservadora mais conservadora do Brasil, quando o enxergo de mãos dadas com os grandes conglomerados da imprensa brasileira, enfim, quando começa a se posicionar com opiniões direitistas, reacionárias e dignas de agradar qualquer Mussolini da vida.

Quando Lobão publicou a biografia, comprei. Ele escreve bem, e documenta com uma veracidade para poucos, inclusive as ações da justiça contra ele. Até na biografia pude entender um pouco como se tornou o que se tornou, como a ajuda do Marinho nos seus problemas judiciais de jovem rebelde, entre outras coisitas más. Depois teve o execrável Manifesto do Nada na Terra do Nunca, um bagulho pretensioso a ser obra intelectual, aí a coisa começou a ficar feia.

Daí em diante não o consigo enxergar de outra maneira senão na forma de um velhote conservador com ideias das mais retrógradas e incabíveis possíveis. Tá lá ao lado de Olavo de Carvalho e a turma. Mas o pior de tudo é que nós sabemos o que acontece com quem começa a defender essas ideias com afico: as portas da mídia se abrem com gosto! E bem, ele tá se dando bem agora, não há dúvidas. Ele agora é colunista da Veja... tudo bem, é a Veja, mas mesmo assim é uma revista de grande circulação.

Sua última “grande composição” parece ser feita aos incautos, mas tem muita gente curtindo ela e essa muita gente, ao meu ver, parece bem informada. Pois essa canção já começa com a imposição da famigerada falácia de apelo à autoridade: “Por todos esses anos/Por tudo que eu passei/Por tudo o que eu faço/E ainda o que eu farei [...]”. E aí termina de uma maneira infantil: “Acabou sua pilantragem, sabe por quê?/Porque eu não vou deixar”.

Escutei toda a música (boa de se ouvir como a maioria das composições do Lobão), parei um pouco para tentar entender, perguntei: “como assim não vai deixar?”, aí dei uma risada. Dize-se que a música é para Pablo Capilé sobre rumores de não ter pago cachê e toda uma historia que, diga-se de passagem, pode ser conferida em matérias da revista* onde João Luiz Woerdenbag Filho escreve sua coluna da moral e dos bons costumes da rebeldia contestadora do conservacionismo(?).

Contudo, quero deixar uma ressalva. Não vou dizer que o cara está errado. Se é para contestar que conteste mesmo. Se é verdade que o rock é um estilo contestador, que assim se faça e pare de frescura, porque esse estilo anda uma bosta sem tamanho com uma covardia, porém, não é porque é uma contestação que é um bagulho legal. Pois é, essa contestação do Lobão, e mais uma galera coxinha do rock mainstream atual no Brasil, é contestável, é execrável.

É uma pena que o povo esteja acostumado com a vida no Brasil, e não faça nada que mude de VERDADE o rumo das coisas. É muito difícil de se explicar e se entender tudo que acontece por que infelizmente na minha opinião a desonestidade está em toda parte. Não somente nos escândalos de empreiteiras, e nem somente nos escândalos da Petrobras.

Um bom e pequeno exemplo é o preço do panetone no Brasil. Nos Estados Unidos consegue se vender mais barato, e aqui no Japão onde eu moro também!! Sendo que o preço aqui por uma panetone de quase 1kg, consegue ser menor do que o de 700 e poucas gramas no Brasil. A culpa isso é de quem? Da Bauduccco ou das taxas e impostos cobradas pelo governo brasileiro?

Pode parecer fora de contexto o que eu disse, mas esses abusos nos preços estão por toda parte, ao meu ver, para cobrir rombos de outras roubalheiras cometidas e sustentar planos de governo que jamais seriam adequados. É mesmo assim, o povo vai lá e compra tudo, não ousa boicotar essa covardia, simplesmente por estar acostumado com isso há tempos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário