quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Israel sádica vs Palestina sabatinada

Não há política de defesa no mundo que justifique matar mais de 400 crianças e mais de mil pessoas.

Israel saiu de Gaza cantando uma vitória que não existiu. Como eu previa, Israel jogou uma bomba no próprio pé e angariou a antipatia internacional e fortaleceu o Hamas! Meus Deus! Israel fortaleceu um grupo terrorista!

Agora, líderes devem entender que os civis, ou seja, a massa mundial, não quer mais guerra, e que se encontre na diplomacia o direito a paz.

Já dizia o profeta: Gentileza gera gentileza. Violência gera violência.

Tão difícil e tão fácil de entender. Mas aí põe religião, petróleo, território, orgulho, armas, etc no meio e BOMBA!

"Neste grave momento do conflito Israel - Palestino, nós, judeus brasileiros, abaixo assinados, entendemos que Israel tem o direito de se defender, porém não o de transgredir as normas estabelecidas pelo direito humanitário internacional. Se é verdade que a tática de guerra do Hamas implica em desrespeito por vidas humanas, tanto de israelenses quanto dos palestinos de Gaza, repudiamos a tentativa do governo israelense de culpar unicamente esta organização pela morte de civis, inclusive mulheres e crianças, em suas operações militares. Frente ao grande número de vidas sacrificadas é importante mobilizar todos os esforços para garantir um cessar fogo duradouro. Desumanizando o outro, terminamos por desumanizar a nós mesmos.


Esta guerra resultou do impasse das negociações de paz em meio à sistemática desqualificação da Autoridade Nacional Palestina pelo governo israelense e à contínua expansão dos assentamentos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental"


Nenhum comentário:

Postar um comentário