quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ariano Suassuna partiu!

Depois de João Ubaldo Ribeiro e Ruben Alves, Ariano se despediu do mundo carnal.

E agora eu pergunto: Porque essa praga de mortes não ronda o Congresso?

Pelo menos na Literatura nos enriquece de cultura e informação, e o Congresso, o que agrega de valor para nós?

Vai com Deus Ariano! Sua arte e sua alma literária nos progride para a eternidade, o seu legado é o maior sustento e herança para o público.















"O homem nasceu para a imortalidade. A morte foi um acidente de percurso. Mas depois que eu me tornei pai e avô, descobri que a família é quase uma imortalidade, porque é uma continuidade" (Ariano Suassuna)

"Eu tenho a maior convicção de que, com os elementos da chamada arte arcaica, a gente pode fazer uma arte que se projeta até para o futuro" 
(Ariano Suassuna)

"Há duas raças de gente com quais simpatizo: mentiroso e doido, porque eles são primos dos escritores. (...) Na minha vida não acontece nada. Se eu não mentir, o que é que eu vou contar?" 
(Ariano Suassuna)

"Não tenho nada contra a cultura universal, mas não posso admitir que se considere sinônimo de universal a cultura de massa. Ela é o contrário da universalidade, é a uniformização" 
(Ariano Suassuna)

"Eu acho que a arte, por natureza, não é uma imitação do real, é uma recriação. (...) Se fosse para imitar a realidade do dia a dia, melhor seria ficar com a própria realidade" 
(Ariano Suassuna)


Nenhum comentário:

Postar um comentário