terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Morte de Cinegrafista e (também) Morte do Camelô

- Um camelô que estava trabalhando, tenta fugir das bombas que a polícia estava lançando a esmo na Central, é atropelado e morre;



- Ato contra o aumento das passagens;

- Catraca liberada com amplo apoio da população;


- PM faz o de sempre (tiro, porrada e bomba);


- A Rede Bandeirantes envia um trabalhador sem nenhuma proteção para cobrir o Ato;

- O trabalhador da band é atingido por um rojão;


- Um Black Block malvadão e assassino, que deu o rojão para outro Black Block malvadão e assassino acender, simplesmente se entrega a polícia e diz que vai cooperar de boa;


- Surge uma denuncia que o autor do disparo do rojão é ligado ao Freixo;


- Do nada, como um super herói, surge um Advogado pra ajudar o Black Block e acusar o Freixo;


- Este Advogado é o mesmo que defendeu uma das maiores máfias da história do RJ, os irmãos milicianos que foram presos graças a CPI das Milícias liderada pelo Freixo.

Resumo da ópera: 


Todo mundo esqueceu que a passagem aumentou e que o protesto era legítimo, a Band não vai ser responsabilizada por enviar um trabalhador sem segurança para cobrir o Ato, a PM não vai ser responsabilizada pela morte do camelô, o Eduardo Paes vai rir a toa porque além de a passagem ter aumento de boa ainda vai se livrar de um adversário político (Freixo), a milícia vai se vingar do Freixo e um bando de retardado sem o mínimo de senso crítico vai achar isso tudo coincidência e vai compartilhar intensamente que os manifestantes são assassinos, pois tem a memória curta e esqueceram as centenas de P2 infiltrados nos Atos desde junho fazendo merda e colocando culpa em manifestante.





Nenhum comentário:

Postar um comentário