quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

MÁGOAS COM O BRASIL

Se você me pergunta se eu tenho esperanças com o Brasil eu lhe respondo: Tenho mágoa do Brasil.



Mas mágoa de quê? Mágoa da maquiagem nos indicativos e no recomeço de um retrocesso.

Poxa, mas os otimistas de plantão me dirão: Com os programas sociais o Brasil venceu alguns obstáculos.

Eu sou contra essa idéia do "JÁ GANHOU" aplicada pelo governo federal há mais de 20 anos, independente do partido em que esteja no comando, o "JÁ GANHOU" é inadmissível quando se fala em gerir recursos públicos e positivá-los de uma maneira progressiva.

Fico magoado com um país que falso moralista, um país que continua racista na prática, mesmo com a sua política de cotas, o comportamento continua racista.

Fico magoado com um país extremamente estadista, que contrata cada vez mais funcionários públicos, incentiva a população a ser gerida pelo dinheiro público e não incentivando a política empreendedora na população, possuímos um território bem vasto, dá para explorar diversos assuntos, desde o artesanato até os produtos mais exóticos.

E onde está o ensino técnico no Brasil? Um país com uma demanda nesse apoio tão grande e muito mal qualificado, justamente por não suportar a procura e não atender a demanda.Na vida em sociedade aprendemos a conviver. Exercitamos formas de aceitar e sermos aceitos pelos outros. Para que esse exercício seja proveitoso e frutifique, não devemos agasalhar em nosso coração nenhuma mágoa.

Coração magoado é porta aberta para as dores da alma. Quando nos magoamos estamos passando o nosso atestado de que possuímos vaidades que não tentamos vencer, orgulho que não conseguimos que dê lugar à humildade, perdão que nos negamos a dar.A mágoa é elemento radioativo que destrói nossa capacidade de vencer obstáculos, de fazer crescer em nós as virtudes capazes de elevarem nossa alma.

Fico extremamente magoado com a cultura da "Lei de Gerson" do brasileiro. Para quem não sabe, Lei de Gérson é um princípio em que determinada empresa deve cumprir as ofertas que anuncia, e não se recusar a cumpri-las, sem se importar com questões éticas ou morais

A "Lei de Gérson" acabou sendo usada para exprimir traços bastante característicos e pouco lisonjeiros do caráter midiático nacional, associados à disseminação da corrupção e ao desrespeito a regras de convívio para a obtenção de vantagens. Gostar de levar vantagem em tudo, se algo pode dar errado, não tem problema, pois mesmo que der errado, a gente dá um jeitinho de fazer parecer certo, esse é o lema do brasileiro. 

Fico magoado com o efeito dos protestos contra a corrupção e prisão de "mensaleiros" não influenciaram posição brasileira em ranking da Transparência Internacional, Isso não é uma boa notícia, porque o Brasil é um líder que deveria mostrar um melhor resultado, ou seja, mostra que os corruptores aparentemente não tem medo de mudanças positivas, sabem que a constante burocracia e a impunidade reinarão por muito tempo no Brasil.

Fico chateado com a má qualidade da educação de base no país, esse foi o caminho percorrido pela maioria das nações do mundo que conseguiram elevar a educação básica a padrões aceitáveis de qualidade. Pela mesma razão, dou razão ao senador Cristóvão Buarque que sugere que o governo transforme o Ministério da Educação em Ministério da Educação de Base, repassando todas as atribuições relacionadas com o ensino superior para o Ministério de Ciência e Tecnologia.  

Criança é coisa de prefeito. Para o governo federal, é peixe que é importante. Aí tem um ministério para cuidar dos peixes, mas nós não temos um ministério para cuidar das crianças. Nós temos, na área de economia, pelo menos uns dez ministérios diferentes. Para a educação, apenas um. Na maior parte dos países onde deu certo a educação de base, havia um ministro responsável por olhar, cuidar, influir na educação de base. Onde não teve isso, não deu certo.

Melhoria dos serviços públicos – como nas áreas de educação, saúde e segurança –, o fim da corrupção e a rejeição a preconceitos contra minorias foram algumas das pautas defendidas nos protestos de rua ocorridos este ano que também mobilizaram manifestantes no gramado em frente ao Congresso. Mas será que o protesto continuará? Eu tenho os meus receios justamente por essa falta de cultura manifestatória, como os nossos vizinhos argentinos possuem com os seus "panelaços".

Enfim, não quero ser cético e ser uma pessoa que esteja totalmente desistindo do Brasil, mas queria manter em meu coração aquela pontinha do verso "Verás que um filho teu não foge à luta..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário