quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Gama Filho e Univercidade: Ruínas Educacionais

Não concordo com a Federalização. Defendo uma intervenção administrativa do Estado nas universidades, sem necessariamente usar o dinheiro público. O MEC poderia nomear um gestor público para administrar e auditar toda a gestão administrativa financeira das universidades. Sei que está extremamente difícil para o corpo discente, mas temos também que se pensar num todo, num jeito macro.




A Universidade Gama Filho é conhecida em todo o Brasil há muitos anos por ser uma instituição privada de ensino, com tradição, sobretudo e notadamente, em relação ao curso de medicina, tendo preparado profissionais de excelência nesta área por décadas. 


Em um país com um sistema de saúde deficitário a tal ponto que se tornou necessária à contratação de médicos estrangeiros no intuito de suprir as necessidades básicas daqueles que dependem exclusivamente do sistema público de saúde, poder-se-ia considerar um contrassenso a oposição do Ministério à federalização da referida universidade, uma vez que há evidente urgência em formarmos mais profissionais desta área.


Os discentes querem a federalização da UniverCidade e da Gama Filho ou que o MEC anule o descredenciamento publicado no Diário Oficial da União (DOU), do último dia 14, cancele a mantença por parte do grupo Galileo Educacional e que um interventor possa administrar as IES. Durante o ato cantarolaram e gritaram palavras de ordem, inclusive dizendo que a presidenta Dilma Rousseff deveria se lembrar deles, porque 2014 é ano eleitoral.





Os manifestantes também falaram em criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado para continuar abordando a crise na educação superior, claro, incluindo a UGF e a UniverCidade. Na verdade, estão loucos!!! Primeiro: CPI não tem poder de polícia. Alguém já viu alguma CPI resultar em alguma coisa??? Observa-se por, exemplo, que dois acionistas do grupo Galileo Educacional, Márcio André Mendes Costa e Adenor Gonçalves dos Santos, sequer compareceram às convocações; segundo: porque já foi feita uma CPI na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que durou de agosto de 2012 a março de 2013. Um relatório de 65 páginas – que este jornalista leu e releu – chegou a ser distribuído para diversos órgãos (MEC, ministérios do Trabalho, Público Estadual e Federal, Polícia Federal, Congresso etc.), e até agora nada...; terceiro: criar CPI em ano de eleição parece estratégia eleitoreira. 


O assunto seria dissecado muito lentamente, para que não ficasse no esquecimento. Outra coisa: a Copa vem aí e nem todos da atual bancada continuarão no cargo em 2015. Serão novas pautas e novas discussões; e pra finalizar: quarto: está na hora de a Polícia Federal começar a agir e o Ministério Público (MP) também!!! Até agora não se sabe se o MP Federal pretende atender o pedido da comunidade acadêmica e tentar solicitar uma intervenção na UniverCidade e na Gama Filho.

Na ocasião tinha até professores recebendo ainda trabalhos dos discentes (foto 3). O que demonstra que continuam sendo responsáveis e éticos com seus pupilos, mesmo quando estão desde setembro sem ver a cor do dinheiro e quando não têm mais emprego. Alguns dos alunos eram convidados a participar do manifesto, mas diziam não poder, que tinham outros afazeres. Uma resposta inusitada, conformista, no mínimo, era de que estava tranquilo, porque seria bolsista e o Ministério da Educação (MEC) o realocaria para outra IES. Nota-se que seu único compromisso era o de obter um certificado, um diploma de nível superior, não tinha qualquer vínculo afetivo com sua instituição ou seus colegas, por exemplo.


Se tivessem 300 pessoas eram muito. O número foi menor do que o do protesto da quinta-feira passada (16), cuja estimativa era de até 500. À medida que anoitecia, os manifestantes iam se dispersando e indo embora. No mais, foi pacífico. Um detalhe à parte: talvez seja mais fácil ir para o Céu ou falar com a presidenta Dilma Rousseff – reivindicação dos manifestantes – do que conseguir subir no carro de som para fazer umas fotos para este site.



Nenhum comentário:

Postar um comentário