segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Agora já era, o Rolézinho chegou...

Sempre escutei dos mais velhos, aliás, já estou enquadrada nesta geração dos "mais velhos", que a juventude é o nosso futuro.

Mas e agora? Já percebeu como estamos com um medo generalizado do nosso futuro?

Se não bastassem os protestos que assolaram o Brasil, agora o rolé (zinho) é a nova moda de protesto, supostamente "maneiro".

Os jovens devem estar rindo de nós ( mais velhos).

_ Você viu, cara? Estamos nos jornais!

- O shopping fechou!

Se eu fosse jovem, eu também iria rir e muito! O jovem é desafiador, criativo e rebelde por natureza. E quando se "baixa a guarda" para um jovem ele "monta em cima" sem dó nem piedade.

O que seriam estes rolezinhos há 20 anos, quando éramos jovens? Eu e meus amigos tínhamos medo da polícia, não a polícia tinha medo de nós.

Nós tínhamos medo de sermos presos, e os bons andavam na linha e os maus sempre se ferravam. Não existia isso de dar um rolezinho com boas ou más intenções. Isso se chamava tumulto. E a polícia repreendia os tumultos e quem estava no tumulto sabia porque estava sendo repreendido. Tampouco tinha essa de periferia, era qualquer um , a polícia era para todos.

Os jovens da minha geração queriam ser algo na vida, estudar e ter uma profissão, não tínhamos o 'boom" das redes sociais e aplicativos que deixam milionários alguns afortunados da noite para o dia. É apenas uma constatação, faz parte da geração deles.

Mas confesso que estes jovens "estão podendo".

Jamais iria pensar que "rolezinhos de jovens" pudessem fechar em pleno domingo um dos principais shoppings da cidade do RJ e ainda no Leblon, a área mais nobre da cidade.

Nesta rua, eu morei por 29 anos! Apesar de ter uma delegacia na esquina, nunca vi helicóptero sobrevoando, policiais salvaguardando um shopping. Para mim isso é resultado de que a única coisa que está errada é essa nova ordem brasileira.

O jovem perdeu o respeito, mas eles estão corretíssimos em perder o respeito pelos mais velhos, pela autoridades, pela polícia.

A geração dos "mais velhos" se perdeu há muito tempo ao aceitar a corrupção extrema no nosso país, ao baixo nível extremo dos programas de tv aberta, a impunidade extrema dos corruptos, bandidos e foras da lei.

À moda deles, estão mostrando o que os mais velhos fizeram de tão errado. Não é culpa deles, é culpa nossa quando deixamos o Brasil chegar a um ponto que, como qualquer jovem, irá deitar e rolar pela incapacidade de gerar leis, condutas e comportamentos que pudessem para-los.

O jovem não precisa de freios, precisa de compreensão. Não estamos compreendendo o que fizemos de errado para ajuda-los a ter um país melhor.

Desculpe-me jovens. Não era esse Brasil que eu queria para vocês.

Estejam no direito do seu rolezinho.


Foto: Manifestantes em frente ao Shopping Leblon, que não abriu as portas neste domingo Gabriel de Paiva / Agência O Globo



Nenhum comentário:

Postar um comentário