quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

A ESPERA

É engraçado passamos as vezes um bom tempo a espera para obter algo material, e o mais surpreendente é quando obtemos não nos parece mais tão importante ou interessante. 

E, aí eu me pergunto: Sera não mais querer?

Não é algo que eu possa passar sem te-lo?

Sera que me faz falta?

Não é mais necessário?

O engraçado que até as próprias perguntas já não são tantas. Me pergunto sera que essas mesmas coisas deixaram de ser necessárias ou sera que estou ficando desprendida dessas mesmas coisas.

Sinceramente , agora não sei responder, é novo para mim. Mais novo ainda é que não me surpreende, me parece já esperar por isso. Também assusta, porque o que almejava não era nada demais. Era apenas adquirir algo para o meu bem, para o meu conforto, para dizer a verdade algo merecido.

E, ai volto a me perguntar, porque a mudança? Será de dentro pra fora ou de fora pra dentro?

Seja qual for espero que não mude muito ou nada porque lá no fundo, existe tantas coisas interessantes. bonitas, reais, verdadeiras.

Vai que começa a mudar tudo, e começo a só perguntar, perguntar, e lá se vai. E, para que? Nem tudo precisamos de respostas, nem tudo tem respostas.

Porque ao invés de tantas perguntas para ter tantas respostas, não apenas EXCLAMAMOS o que com tanta espera obtemos.


Por Sheila Leite (colunista parceira)


Nenhum comentário:

Postar um comentário